Análise de Homicídio como Resultado de Vingança no Livro de Edgar Allan Poe O Casco de Amontillado

O conto, ‘O Casco de Amontillado’, escrito por Edgar Allan Poe é uma história verdadeiramente fascinante que, quando lida, se apresenta tão pesada e temerosa quanto misteriosa. O tema da história aponta para a vingança por um assassinato cruel. Pessoalmente, depois de analisar ‘O Casco de Amontillado’, fiquei com a sensação de que Poe estava colocando o clima de obscuridade e suspense, especialmente depois de fornecer as informações no início do conto que o personagem principal, Montresor, está buscando vingança sobre outro personagem, Fortunato. No artigo ‘The Motive For Murder in ‘The Cask of Amontillado’ de Edgar Allan Poe’ escrito por Elena V. Baraban denota alguns possíveis motivos das ações de Montresor e fala sobre os vários comentadores da história. Entre meus pensamentos pessoais e o artigo de Baraban, ambos compartilham a idéia de que o principal motivo para matar Fortunato foi, de fato, a morte do próprio Fortunato.

Pessoalmente, depois de ler ‘O Casco de Amontillado’, senti como se Poe estivesse tentando comunicar, especialmente para a trama, que há mais na história do que o que está sendo dito. Acredito sinceramente que Montresor estava exagerando o que Fortunato lhe fez para que ele quisesse se vingar, o que eu diria que o torna um narrador pouco confiável. A partir disto, veio-me à mente uma pergunta à qual não consegui encontrar uma resposta direta na história: Fortunato tinha o mínimo conhecimento de que Montresor estava irritado com algo que ele havia feito há algum tempo atrás? Além disso, se Fortunato soubesse, teria ele vivido? Com base no conhecimento da escrita de Poe, duvido porque ele não escreve tais histórias, e esta, em particular, estava fadado a ter uma pessoa morta no final. O humor sombrio e suspense da história é o que me faz acreditar em minha observação. O humor sombrio é estabelecido por Poe dizendo aos leitores que Montresor vai se vingar de Fortunato e constrói o suspense dos leitores sobre quando algo pode ter acontecido com Fortunato. Sabemos, assim que a história começa, que Fortunato vai morrer, mas não temos como dizer se ele tem algum conhecimento da antipatia de Montresor por ele.

O artigo de Elena V. Baraban, ‘The Motive For Murder in ‘The Cask of Amontillado’ de Edgar Allan Poe’, resume a essência do que todos os comentaristas da história concluíram, que Montresor estava louco. Baraban apoia sua afirmação de que Montresor era louco dizendo: ‘Longe de ser um assassino medíocre, Montresor elabora uma sofisticada filosofia de vingança: ‘Eu não devo apenas punir, mas punir com impunidade’. Um erro não é corrigido quando a vingança ultrapassa seu reparador’. É igualmente não corrigido quando o vingador não se faz sentir como tal para aquele que fez o mal’. (Baraban, 48) Todo esse planejamento e timing para assassinar alguém por causa de um insulto é mais do que uma loucura na linha de embarque, isso é apenas insanidade. Edward Hutchins Davidson comenta: ‘Nunca sabemos o que o fez odiar Fortunato, nem temos consciência de que ele alguma vez traçou um plano para realizar sua vingança…. Aqui não há nada intelectual; tudo é louco e improvisado — e Montresor tem sucesso apenas na medida em que é capaz de se adaptar a um mundo louco e improvisado’. Para Baraban e Davidson, as idéias do plano de Montresor são algo contrastantes, mas ambos chegaram à mesma conclusão de que ele é insanamente louco. Outro comentarista, Stuart Levine, considera Montresor um homem louco, pois ele ‘assassina por causa de um insulto sem nome’. Na opinião de Levine, ‘O Casco não tem passagem para dizer ao leitor que o narrador é louco; a história inteira faz isso’. Levine está certamente certo ao observar que não há evidência textual da insanidade de Montresor. Portanto, pode-se acrescentar, não há razão para supor isso’. Ambos comentaristas e Baraban concordam que as ações de Montresor são loucas por sua mentalidade. Quanto a dizer, eu também concordaria.

Tanto minha análise pessoal quanto a análise do artigo, temos a idéia semelhante de que o motivo de Montresor para matar Fortunato era o conhecimento de que Fortunato estava realmente morto, não o que ele havia feito a Montresor anos antes. A pequena história pode concluir que o motivo de Montresor foi porque ele pretendia buscar vingança em apoio ao lema de sua família: ‘Nemo me impune lacessit’ (‘Nemo me impune lacessit’)’ (‘Ninguém me agride impunemente’) (52). Isso parece uma doação morta, mas Poe era um escritor maior do que simplesmente dar respostas em suas histórias. Pense nisso, Montresor não ficaria feliz até que Fortunato estivesse morto. O fato de Fortunato o ter insultado tem uma desculpa para ele ter assassinado Fortunato, mas olhando mais a fundo na história, pode-se concluir que Montresor só queria realmente que ele sofresse e morresse porque ele simplesmente não gostava dele. ‘Montresor não assassina Fortunato em segredo, mas encena um espetáculo de execução para que a vítima saiba quem o mata’. Se Fortunato não entende porque Montresor decidiu matá-lo, ele pode acreditar que Montresor é um louco. Tipicamente, alguns estudiosos que argumentam que Montresor é louco se voltam para a última cena da história’, (56). Baraban chega à conclusão de que se tudo isto fosse sobre vingança, Montresor teria contado diretamente a Fortunato sobre o insulto, mas na última cena ele deixa de mencionar por que está cometendo o crime contra Fortunato. Concordo com a evidência de Baraban e vejo porque ela acredita num motivo diferente do que a história diz Montresor acredita ser seu motivo porque ele é tecnicamente um personagem não confiável.

O artigo moldou e influenciou minha compreensão da história de forma bastante dramática. No início, o motivo parecia bastante claro como se Fortunato fosse ser assassinado por Montresor por insultá-lo. Entretanto, seu plano parecia muito sofisticado e ele nunca mencionou a Fortunato que o estava assassinando porque ele o insultou há algum tempo. Depois de ler o artigo, tenho uma compreensão mais profunda da história e uma perspectiva diferente do motivo da morte de Fortunato.